Ao Cadáver

Você, que nasceu, cresceu, sorriu, sonhou, chorou e, por certo, amou e foi amado. Você, cujo nome, idade e procedência desconhecemos. Seu corpo ajudou na construção de nosso aprendizado, pois você permitiu que ficássemos admirados com a criação de Deus. Você nos serviu muito com sua morte. Serviu para que pudéssemos aprender a cuidar da … Ler mais

Ao Cadáver

Nossos agradecimentos ao cadáver, este corpo que, apesar de não mais possuir o mais a vida, tem o nobre dever de transformar a simples teoria na prática mais literal, concernente ao conhecimento da anatomia humana. Conhecimento que permitirá um maior domínio do saber do corpo humano, proporcionando segurança no manejo com clientes e pacientes, razão … Ler mais

Ao Cadáver

Você nasceu, cresceu, sorriu, chorou, sonhou, por certo amou e foi amado, e, com seu abnegado silêncio, nos permitiu o primeiro contato com a natureza física do homem. Ofereceu seu coração para quem nunca soube seus sentimentos. Abriu sua cabeça para quem nunca soube seus mistérios e pensamentos. Deu suas mãos para quem nunca soube … Ler mais

Ao Cadáver

Não conhecemos teus ideais, mesmo assim abriste teu coração para quem não compartilhou teus sentimentos e não conheceu as expressões de tua face. Ofereceste tuas mãos marcadas para quem nunca soube o peso que carregaram nem por onde andam as que as tuas afagaram. Os caminhos que teus pés percorreram, nunca saberemos se os cruzamos … Ler mais

Ao Cadáver

A você, cujo nome, idade e procedência não conhecemos, cujos olhos não tivemos coragem de encarar, cujo corpo nos serviu de aprendizado. A você, que nos permitiu ficar maravilhados com a perfeição da criação de Deus, que nos serviu com sua morte para que pudéssemos cuidar da vida. A você, seja qual for a sua … Ler mais